Glamour e Tradição

Portal das flores no parque Flemington de Corridas de Cavalo em Melbourne. / The flowers portal at the Flemington Racecourse Park in Melbourne.
Portal das flores no parque Flemington de Corridas de Cavalo em Melbourne.

Novembro chegou e com ele vem um dos eventos mais importantes da Austrália. A Melbourne Cup Carnival de Corridas de Cavalo. São várias cidades pelo país que promovem o esporte, mas é no circuito de corridas de Flemington, aqui em Melbourne, que acontece o mais famoso da Austrália. A riqueza de Melbourne e seu crescimento devido a era da corrida do ouro dos anos de 1850 a 1880 transformaram a cidade na mais dinâmica da Austrália.

Dentro do parque uma estátua de cavalo. Ao fundo, o centro da cidade de Melbourne. / Inside the park, a horse statue. At the back, Melbourne's downtown.
Dentro do parque uma estátua de cavalo. Ao fundo, o centro da cidade de Melbourne.

A Melbourne Cup, trouxe à tona o evento como sendo de grande importância social e de moda. Até hoje as mulheres procuram os mais interessantes e extravagantes chapéus para desfilar nos diversos salões e gramados de Flemington. Os homens também não ficam por baixo, todos devem vestir terno e gravata, borboleta muitas vezes, por vezes ternos xadrez, e muita pompa e circunstância, tornando o evento foco de ícones de moda e muita elegância. O evento acontece por uma semana, chega a reunir 120 mil pessoas nos dias mais importantes, em uma área gigante e simplesmente incrível, muito bem cuidada e com todo o conforto possível para os freqüentadores, que no ano passado, pagaram apenas pelo almoço e café da tarde no restaurante em que trabalhei, pelo menos 300 dólares cada um.

A pista de corrida pronta para receber o evento. Um dos principais do calendário australiano. / The racecourse ready for the event. This is one of the most important events of the australian calendar.
A pista de corrida pronta para receber o evento. Um dos principais do calendário australiano.

Tendo trabalhado lá a semana toda, no ano passado, posso garantir que o evento é algo de outro mundo. Você se sente transportado para dentro de um filme, tamanha é a distinção de qualquer outro evento à que já compareci. A história do circuito de corridas de Flemington, considerado patrimônio histórico do país, iniciou-se em 1840, e tradicionalmente, todo ano, desde então, a história se repete. Com todo o glamour que merece. Cerca de 550 cavalos são preparados, a cada ano, para as corridas, em Flemington. Inicialmente promovidas no outono, mas em 1854, quando as condições climáticas estavam perfeitas e o circuito absolutamente incrível, decidiram por promover uma edição de primavera que foi um sucesso, e assim permaneceu, acontecendo a cada nova primavera, desde então. O dia mais importante do evento há de ser o Melbourne Cup Day, na primeira terça-feira de novembro, feriado municipal desde os meados de 1870, que é também celebrado como um dia especial ao longo do país. Outros dias que se destacam são o Derby Day e Oaks Day.

O parque é realmente lindo, são diversas áreas de convivência e com diferentes atrações. / The park is stunning, there are several different areas you can stay at with the most various attractions.
O parque é realmente lindo, são diversas áreas de convivência e com diferentes atrações.

Entre os anos de 2000 e 2004 o comitê que administra o circuito gastou 26.2 milhões de dólares em investimentos, adicionados aos outros 45 milhões quando da conclusão do pavilhão principal em 2000. Atualmente, existe um projeto de renovação, que busca trazer as necessidades de Flemington e seus frequentadores para o século 21. Estimado em 120 milhões de dólares, o investimento de substituição de um dos pavilhões históricos, espera estar concluído para as corridas de 2017. O projeto é desenhado por Bates Smart, os arquitetos por trás do projeto da Federation Square, outro importante marco da cidade, tal qual o Cassino Crown, e, o Hospital de Crianças Royal. O novo “pavilhão de entretenimento” inclui três restaurantes, oito bares, e um jardim na cobertura, tudo isso construído no lugar do antigo pavilhão. Porém, para que isso aconteça, há vários pontos a serem definidos, a começar pelo fato de que o prédio atual é histórico, construído em 1924, repleto de murais e relíquias.

Flores estão por todo lugar. / Flowers are everywhere.
Flores estão por todo lugar.

Segundo ponto importante é o custo. Dos 120 milhões estimados para sua construção, 45 milhões devem vir de duas torres residenciais a serem construídas próximas ao circuito, por uma empresa de desenvolvimento chinesa. A construção do novo prédio deve promover 350 vagas de emprego em construção, e aumentar a capacidade de espectadores de 4500 para 9000. E ainda, aumentar o número, hoje limitado de membros, de 30 mil para 35 mil. Nas fotos você pode ter uma idéia de quão grandioso o projeto é. Garanto que quando finalizado, o projeto será mais um dos grandes marcos da arquitetura de Melbourne. Com certeza passar um dia em Flemington, quando as corridas estão acontecendo, é uma das experiências mais incríveis que se pode realizar na Austrália. Cheers mate! Até a próxima.

Capricho em cada detalhe. / Attention to every single detail.
Capricho em cada detalhe.

 

Desafio ou desperdício?

Cem andares, 319 metros de altura e pelo menos 1100 apartamentos. O novo arranha céus de Melbourne, “Australia 108”, que será construído aqui do lado de casa, assumirá o título de edifício mais alto do hemisfério sul. Em conjunto, e também já aprovados pelos órgãos competentes da cidade, outras duas torres residenciais de 75 e 54 andares, respectivamente, serão construídas na área central de Melbourne, configurando, em conjunto, outros quase 1000 apartamentos. Principais motivos? Esses grandes empreendimentos já seriam parte de um plano de expansão urbana, fazendo sentido à atual realidade de Melbourne, que promete ser a primeira cidade, verdadeiramente, 24 horas do país, e já dizem também, que em algumas décadas, a maior cidade em número de habitantes da Austrália, ultrapassando até mesmo a cidade de Sydney, hoje a maior neste número. Para a construção destes edifícios, pelo menos 6000 novos postos de trabalho serão criados e estima-se investimentos na ordem de mais de 800 milhões de dólares. A Torre Eureka, a qual mencionei em minha primeira matéria, hoje o mais alto prédio de Melbourne com 297,3 metros de altura e 92 andares, e em minha opinião um dos mais belos arranha céus do mundo, cederá seu primeiro lugar, ao futuro vizinho, Australia 108, com orgulho, pois quando finalizado, este fará novamente Melbourne ocupar o cargo de cidade com o prédio mais alto da Australia. Hoje o Q1 (Queensland Number One) na cidade de Gold Coast, Estado de Queensland, mais ao norte do país, é hoje, com 322,5 metros o prédio mais alto da Austrália. Mas eu sou bem mais o Eureka! Liderando a lista de prédios mais altos do hemisfério sul, atualmente está a torre Sky Tower, aqui do país vizinho, Nova Zelândia, na cidade de Auckland, este com 328 metros de altura. Porém, nada comparados aos quase 830 metros do Burj Khalifa em Dubai, o prédio mais alto do hemisfério norte e do mundo, com 163 andares e custo estimado de 1.5 bilhões de dólares para sua construção, finalizado em 2010. Segundo na lista dos mais altos do mundo, está a torre Tokyo Sky Tree no Japão, com 634 metros de altura. Outros mais conhecidos que figuram nesta lista são: a Torre da Liberdade em Nova Iorque, a mais alta do hemisfério ocidental, construída após a queda das Torres Gêmeas e possui 541,3 metros de altura, a torre Taipei 101 em Taiwan, com 509 metros, e as Twin Towers (também conhecidas como Petronas Towers) na Malásia, com 452 metros. No Brasil, o arranha-céus mais famoso de todos os tempos há de ser o Edifício Itália, com 46 andares e 165 metros, na cidade de São Paulo, este por sua vez terá seu posto tomado pelo Millenium Palace, edifício com previsão de finalização de construção neste ano, figurando 46 andares também, mas com 177 metros de altura, na cidade de Balneário Camboriú, em nosso Estado. Como se tudo isso não fosse suficiente, mais uma vez, os olhos se voltam aos países Árabes. Já em construção, mas com previsão inicial de possuir 1 milha de altura (1,6 quilômetros), a Torre do Reino, na Arábia Saudita, será o prédio mais alto já construído, sem precedentes. Devido às condições geológicas da área porém, teve-se que reajustar a altura à “meros” 1000 metros de altura. Criado pelo mesmo arquiteto americano, Adrian Smith, que criou o atual mais alto do mundo, Burj Khalifa, no vizinho Emirados Árabes Unidos, na cidade de Dubai, como disse anteriormente, a Torre do Reino deverá custar 4.6 bilhões de dólares, possuir 167 andares, 59 elevadores e área construída de 319.000 metros quadrados. Equivalente à quase 40 campos de futebol, como o do Estádio do Maracanã, de área construída. Somente a base de construção para suportação desta torre desce 600 metros abaixo da superfície terrestre. Tudo isso me faz pensar, e acredito que à vocês também, isso tudo é realmente necessário? Ao mesmo tempo que é um fantástico desafio à engenharia é também um altíssimo gasto dos nossos recursos naturais, não é? Confesso que não cheguei à uma conclusão ainda sobre o assunto. Cheers mate! Até a próxima edição.

halifa, in Dubai, today the tallest building in the north hemisphere and in the world, having 163 floors and costing about 1.5 billion dollars to be built, finished in 2010. Second in the list, is the Tokyo Sky Tree in Japan, with 634 meters of height. Other famous buildings in the list are: The Freedom Tower in New York, the highest one in the ocidental hemisphere, built after the Twin Towers were crashed by airplanes in 2001, it is 541.3 meters high; the Taipei 101 tower in Taiwan, being 509 meters high, and the Twin Towers (also known as Petronas Towers) in Malaysia, with 452 meters of height. In Brazil, the most famous skyscraper has got to be the Edifício Itália, having 46 floors and 165 meters of height, in the city of São Paulo. But, it will be taken over by the Millenium Palace building, estimated to be fully finished this year, also having 46 floors, but being 177 meters high, in the city of Balneário Camboriú, in my home State, Santa Catarina. As if all of it wasn’t enough, again, our eyes turn back to the Arabian countries. Already being built, and with initial plans of being 1 mile high (1.6 kilometers), the Kingdom Tower, in Saudi Arabia, will be the tallest building ever built, of all times. Due to the area’s geological conditions though, it was necessary to readjust it’s height to “only” 1000 meters. Projected by the same architect, Mr. Adrian Smith, who projected the current tallest building in the world, Burj Khalifa in neighbor United Arab Emirates, city of Dubai, the Kingdom Tower, in Saudi Arabia, is estimated to cost 4.6 billion dollars and to have 167 floors, 59 lifts and built area of 319.000 square meters. Just the basis where this tower will sit in is supposed to be 600 meters deep from the land surface. All of it makes me wonder, and I believe it might make you too, is this really necessary? At one point of view, it is a crazy fantastic engineering challenge, at another point of view, it is a highly spent of our natural resources, isn’t it? I have to confess I haven’t come to a conclusion about such matter. For more information, links to videos and other photos, access my profile on Facebook. Cheers mate! See you next time.