Entre Incenso e Arquitetura

IMG_5422_2
No Templo Pura Luhur Uluwatu em Bali, Indonesia.

É comum andar por Bali e encontrar um templo a cada duas casas construídas. Não encontrei em nenhum dos outros oito países que visitei nessa aventura de trinta dias pela Ásia, tamanha homenagem aos Deuses, como lá. É costume que, todo dia pela manhã, deve-se tomar banho e ir ao templo prestar respeito aos Deuses, entregando uma oferenda, geralmente feita de uma cesta de palha com muitas flores e incenso. O mesmo ritual deve ser repetido todo final de tarde, a cada dia. Ao caminhar pelas ruas de Kuta, a maior cidade, também a mais movimentada de Bali, na Indonésia, país que foi o segundo destino da minha viagem de 30 dias pela Ásia, você se sente vagando por nuvens de incenso. Por todo lado eles marcam presença, uma sensação de tranquilidade é inspirada a cada passo que se dá por lá. Isto está em praticamente toda loja da cidade, também utilizam a oferenda com flores e incenso em sua porta de entrada, como sinal de respeito pelos Deuses protetores desta ilha. Mas não fique só em Kuta não, há muitas coisas lindas pela ilha toda. Uma das melhores, em minha opinião, o Templo Uluwatu, um templo do século XI, também conhecido como Pura Luhur Uluwatu, que significa ‘Ulu’ no topo, ‘watu’ da pedra, e é um dos seis templos pertencentes ao pilares espirituais, conhecido mundialmente por estar localizado em um ponto magnífico da ilha, na beira de um penhasco de 70 metros de altura sobre o mar indiano. De lá também é possível apreciar um dos mais lindos pôr do sol, daquele lado do mundo.

IMG_5398_2
Na muralha que segue de um lado até o outro no paredão abaixo do Templo Pura Luhur Uluwatu em Bali, Indonesia.

O templo Uluwatu é construído em arquitetura Balinesa, com muitos aspectos tradicionais daquela ilha, e muitas esculturas antigas. Vários vestígios lá encontrados, provam que o templo é de origem megalítica e remetem ao século X. Há duas entradas neste templo, uma ao norte e outra ao sul. Também há uma pequena floresta próxima à entrada que é habitada por centenas de macacos, segundo a lenda, eles guardam o templo das más influências. Um caminho sinuoso todo murado em concreto fortifica o templo ao longo do penhasco. Para atravessa-lo, leva-se aproximadamente uma hora para chegar de um lado até no outro. Os balineses hindus acreditam que os três poderes divinos de Brahma, Vishnu e Siva se tornam um neste lugar. Esta crença transforma o templo Uluwatu em um lugar de adoração à Siva Rudra, a divindade balinesa hindu de todos os elementos e aspectos de vida no universo. Este templo também é dedicado à proteger Bali dos demônios marinhos. Segundo a lenda, o arquiteto do Templo Uluwatu é Dhang Hyang Dwijendra, deste e de muitos outros templos em Bali e outras localidades na Indonésia como Lombok e Sumbawa. Até 1983 o acesso ao templo era muito difícil e perigoso e em 1999 um raio iniciou um incêndio e derrubou parte do templo ao atingi-lo. E, por mais curiosos que pareça, nunca houve nenhuma grande erosão sob o solo do templo, mesmo ficando em um penhasco banhado pelo mar. Os balineses acreditam que essa é uma das maiores demonstrações dos Deuses à proteção do templo. Com uma cultura voltada à adoração de seus Deuses e espíritos divinos, visitar Bali é muito mais do que ver algumas das praias mais paradisíacas do mundo, a imersão nesses rituais sagrados, lava a alma de uma maneira única e revigorante. Obrigado pela leitura, muito mais no próximo mês e no meu álbum de fotos do facebook (endereço no cabeçalho da página). Até mais! Suksma.

Uma amostra da arquitetura balinesa que se pode encontrar andando pelas ruas na ilha de Bali, Indonesia. / A sample of the balinese architecture you can find walking around in the island of Bali, Indonesia.
Uma amostra da arquitetura balinesa que se pode encontrar andando pelas ruas na ilha de Bali, Indonesia.