A Arquitetura Asiática e o Povo mais Ocidental da Ásia

agosto 5, 2015

by — Posted in SOUTH KOREA

 

 

“Emocionado por estar aqui! A arquitetura mais antiga que já vi.” No templo Mireukjeon, século VII, cidade de Jeonju, Coréia do Sul. / “So touched to be here! The oldest architecture I have ever seen.” At the Mireukjeon temple, 7th century, city of Jeonju, South Korea.
“Emocionado por estar aqui! A arquitetura mais antiga que já vi.” No templo Mireukjeon, século VII, cidade de Jeonju, Coréia do Sul.

Sétimo e penúltimo destino da minha aventura de 30 dias por oito países asiáticos, um país onde jamais pensei que teria o prazer de colocar os pés e um dos destinos mais curiosos e “arquiteturalmente” maravilhosos desta minha viagem. A história desse país começou em 2333 AD, uma história sofrida que até hoje pode-se perceber nos olhos daquele povo. Desta vez fui para a CORÉIA DO SUL encontrar um amigo com quem trabalhei na Austrália, ele coreano, então não poderia ter um anfitrião melhor para me mostrar o que há de mais valoroso na cultura daquele país. Embarquei no aeroporto de Phuket, na Tailândia, com destino à Seul, capital da Coréia do Sul e uma das cidades com região metropolitana mais populosas do mundo. Cerca de 25 milhões de pessoas vivem lá, basicamente metade da população do país. A Coréia já era habitada desde o período Pré-Paleolítico, só para se ter idéia do quão antigo é este país. Um país desses merece respeito só considerando este fato importante em sua história. Falando um pouco mais sobre a cidade de Seul, destaca-se como extremamente moderna, bem organizada, sistema de transporte público ótimo, com uma malha ferroviária gigante. Nas ruas você se sente seguro, em um país de primeiro mundo onde as pessoas demonstram educação e principalmente respeito pelos outros e pelo ambiente onde vivem. Pode-se comunicar em inglês em todos os lugares, porém, para minha surpresa, o inglês local não é dos melhores.

IMG_6250_2
Com meu grande amigo-irmão coreano Sun Kim, no Museu Memorial de Guerra em Seul, na Coréia do Sul.

Meu amigo me contou que isso acontece porque os coreanos em geral tem medo de falar em inglês já que é muito diferente do coreano, especialmente pela fonética deles, assim, não praticam nem se sentem confiantes o suficiente para se comunicar em inglês, mas entender, entendem tudo. Seul é repleta de prédios modernos e de arquitetura singular, contrastando com os palácios e outros prédios em arquitetura asiática coreana. Muitas cores, uso de madeira e aqueles telhados incríveis são encontrados nestas heranças magníficas da arquitetura para o mundo. Tudo isso situado em meio à modernidade das cidades. Claro que cercados de muralhas que quando atravessamos, parecem nos levar de volta ao século VII. E foi assim que me senti quando visitei o Templo Mireukjeon construído em 599 mais ao sul do país, próximo à cidade de Jeonju, após ter viajado pela primeira vez de trem bala, um passeio maravilhoso onde ao fim encontramos a tia do meu amigo que nos levou para este templo do século VII, pertencente ao complexo Geumsansa, o mais antigo em que já estive. Adentramos o prédio principal onde encontramos três Budas gigantes revestidos em ouro com muitas oferendas do povo crente. Foi uma experiência transcendente, seguida de uma parada para o chá típico local, o melhor do mundo! Em dia de inverno então, foi perfeito. Voltando à arquitetura local, me fez pensar, afinal, os templos que visitei no Camboja são do século XII, cinco séculos depois dos construídos na Coréia do Sul. Aqueles de pedra, sem nenhum trabalho em carpintaria ou mesmo pintura, já os da Coréia do Sul, CINCO SÉCULOS ANTES, com janelas, entalhos, pintura, muitos trabalhos em carpintaria, impressionantemente mais avançados para a época quando comparados aos do Camboja. É de se tirar o chapéu para esse povo muito sofrido por constantes ataques de seus vizinhos gananciosos e até hoje ainda dividido ao norte com a Coréia do Norte, mas que hoje possui uma das melhores educações do mundo e algumas das maiores multinacionais também, o quanto afrente do seu tempo estavam/estão. Visitar a Coréia do Sul foi de quebrar quaisquer paradigmas que eu tinha com esse país, tudo surpreendeu e me deixa mais e mais saudoso a cada dia que passa. Mais da Coréia do Sul através das lentes das minhas câmeras, acesse meu facebook, são centenas de fotos que valem a pena serem observadas. Gamsa (Obrigado em Coreano), até o próximo mês!

No Palácio Gyeongbok de 1395 no coração de Seul, Coréia do Sul. / At the palace Gyeongbok from 1395 in the heart of Seoul, South Korea.
No Palácio Gyeongbok de 1395 no coração de Seul, Coréia do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *